Conheça os 6 erros mais comuns de quem toma suplementos alimentares e como evitá-los

0
605

O uso de suplementos alimentares está mais comum. Mas, apesar da indicação de médicos e nutricionistas, muitas pessoas ainda os veem com maus olhos. Isso se deve, principalmente, à falta de informação.

Qualquer pessoa – atletas, gestantes, adolescentes, crianças, idosos, etc. – pode ingerir suplementos, desde que sejam adequados a idade, sexo, condições físicas e, principalmente, que seja realmente necessária a ingestão desse tipo de produto.

Por isso a importância de procurar um profissional de nutrição para ajustar o tipo de suplemento e a dosagem adequada ao perfil de cada indivíduo

Preparamos uma lista com os sete erros mais frequentes na administração dos suplementos.

1) Tomar mais suplementos do que realmente necessita

Proteínas, carboidratos e até vitaminas, quando consumidos em dose excessiva, podem causar prejuízos ao organismo. Na edição anterior, falamos do uso excessivo de vitaminas.

2) Consumir suplementos antes de treinar, para aumentar o desempenho

Inúmeras pessoas utilizam os suplementos um pouco antes de iniciar o treinamento, acreditando que, assim, rapidamente, o desempenho do corpo irá aumentar.

De acordo com especialistas, isso é um erro, pois a suplementação tende a causar efeitos em longo prazo, e não imediatamente.

É muito comum ocorrerem as seguintes situações:

Tomar creatina antes do treino, para melhorar a performance naquele momento: o efeito da suplementação com creatina é crônico, ou seja, ele só ocorre depois que houver saturação celular, e isso leva alguns dias para começar a acontecer.

A ingestão de creatina pode ser realizada em qualquer momento do dia, preferencialmente junto com algum alimento fonte de carboidrato simples.

Uma ótima dica é acrescentar a creatina ao shake pós-treino, tendo como base whey protein e dextrose.

Ingerir dextrose ou maltodextrina antes do treino, para otimizar a performance: para a maioria das pessoas, essa prática pode causar um efeito contrário do desejado.

Ao ingerir dextrose antes de treinar, pode ocorrer uma queda na performance devido à instalação de uma hipoglicemia de rebote. O ideal é consumir a dextrose ou a maltodextrina junto com whey protein, no pós-treino.

3) Usar somente whey protein após o treino

Após o treinamento, a principal necessidade do nosso organismo é repor as reservas de glicogênio perdidas durante o exercício físico.

O mais recomendado para isso é consumir carboidratos (dextrose, maltodextrina) em conjunto com a fonte proteica de rápida absorção (whey protein).

Ingerir apenas o whey protein é desperdício.

4) Tomar whey protein com leite após o treinamento

Whey protein é uma proteína de rápida absorção, característica que a torna especial para o período pós-treino, quando o organismo está ávido por nutrientes.

Porém, o consumo de whey protein com leite irá retardar o processo. Tanto antes quanto depois do treino, o consumo do suplemento dever ser feito com água, visando um rápido esvaziamento gástrico.

5) Fazer uso descomedidamente de polivitamínicos

A suplementação com vitaminas e sais minerais é complexa e deve ser feita com cautela.

A ingestão inadequada de algum micronutriente pode acarretar, em alguns casos, deficiência de outro.

Busque a orientação de um profissional de nutrição, para saber qual nutriente é preciso repor.

6) Considerar os polivitamínicos remédios

Não trate os polivitamínicos como se fossem remédios.

Na quantidade certa, eles realmente deixam o corpo protegido, mas nunca devem ser usados para tratar doenças já instaladas no organismo.

Eles não têm efeito alopático, ou seja, não produzem reação oposta aos sintomas.

Lilian Alevato é médica especializada em cardiologia, medicina interna e administração em saúde.