Especialistas apostam em paciência para o adestramento de tubarões

0
23

Se em algum momento Hollywood decidir lançar um remake de “Flipper”, talvez o simpático golfinho possa ser substituído por um tubarão – e quem garante isso são os especialistas do SeaWorld e do Discovery Cove, parques temáticos de Orlando, que já apresentam diversos casos de sucesso.

Os profissionais descobriram que esses animais têm traços comportamentais únicos e que é possível treiná-los, sim, desde que se tenha em mente que é necessário tempo e paciência.

O adestramento facilita o cuidado de veterinários e aquaristas, que têm de lidar diariamente com o bem-estar do animal, mas também possibilita a interação dos turistas com essas “feras” – e esse contato é vital para conscientizar o maior número possível de pessoas sobre a necessidade de preservar esses incríveis animais e seu habitat.

Apesar dos pesares, vai ser difícil encontrar um tubarão fazendo firulas para a plateia, e os veterinários explicam por quê:
Requer tempo. O treinamento de tubarões exige muito tempo e paciência.

Os aquaristas utilizaram somente técnicas de reforço positivo, que inclui mimos especiais como truta, salmão e mariscos. Mas devido ao fato de o sangue desses animais ser frio e algumas espécies serem sedentárias, eles não comem em grande quantidade, nem mesmo muitas vezes por dia. Por isso, as recompensas com comida acontecem com menos frequência, quando comparados com outros animais.

Os veterinários usaram a técnica “Treinamento com Alvo” (ou Target Training, em inglês) para ensinar os tubarões a seguir um alvo. Isso permite que os animais sejam direcionados para locais importantes de seu habitat.

Dessa forma, a equipe de cuidadores pode interagir com os tubarões para monitorar sua saúde e também oferecer aos visitantes uma visão mais próxima desses animais.

Eles têm atividades e treinadores preferidos.  Nossos aquaristas descobriram que cada tubarão responde de forma diferente ao treinamento.

Eles são exigentes com a comida. Os tubarões tendem a ser exigentes quanto a sua comida, o que afeta a forma como eles interagem durante uma sessão de treinamento. Eles têm paladares individualmente diferentes. Alguns devoram salmão e truta mas dispensam lula e outros pequenos peixes.

É necessário lidar com diferentes personalidades. Os veterinários perceberam que os traços de personalidade dos tubarões se intensificam durante as sessões de treinamento.

Por exemplo, os tubarões-zebra machos demonstraram tendência a competir entre eles pela atenção do treinador.

Enquanto um está interagindo com o aquarista, os outros geralmente nadam em sua direção e atravessam o caminho dos demais. Os tubarões-de-galha-preta e branca, por outro lado, são especialmente brincalhões e curiosos, e gostam de se enterrar no fundo dos habitats. Alguns ainda gostam de ficar com um pouco de areia em suas costas.

Revista Facebrasil – Edição 53 – 2015
A revista mais lida pelos brasileiros na Flórida