Para aproveitar a vida é preciso saber viver

0
591

A cada dia, menos tempo temos tido para relaxar ou refletir sobre os caminhos que tomamos em nossas vidas.

Você já parou para pensar nos rumos que sua vida tem seguido?

É muito comum ouvirmos pessoas dizendo-se arrependidas por não terem realizado algo quando eram mais jovens, antes de terem tido filhos, ou antes de se casar…

Muitas vezes, as rotinas do dia a dia acabam por nos deixar “alienados” sobre a nossa própria vida, e nos esquecemos de curtir os pequenos prazeres proporcionados por ela. Que tal começar a curtir a vida?

Acredito que o primeiro passo para a busca de um viver pleno e feliz é pararmos um pouco para refletir sobre os caminhos que a nossa vida tem levado.

Durante essa reflexão, é importante que identifiquemos caminhos e ações que não condizem com nossos desejos e aspirações e que podem ser mudados, aprimorados ou até mesmo descartados, pois muitas vezes nos fazem mal.

Além disso, devemos identificar aquilo que nos proporciona prazer e que dá razão ao nosso viver, pois serão essas vivências que nos darão força para mudarmos aquilo que não nos faz bem.

Após a reflexão, devemos passar para a ação. E a melhor forma de começar é mudar aquilo que não dá sentido a nossas vidas e que, muitas vezes, não nos permite seguir em frente e ir em busca daquilo que realmente nos faz bem.

Claro que existem caminhos e condições de vida que não condizem com o que desejamos.

Porém, não podem ser mudados; nesses casos, devemos sempre tentar buscar o lado bom dessas vivências, ou as consequências positivas que isso pode trazer ao nosso viver.

E aquilo que nos faz bem deve continuar a fazer parte de nossas vidas. Para isso,  devemos nos esforçar e lutar para que esses pequenos prazeres não se percam com as obrigações do dia a dia e as cobranças que a sociedade nos impõe.

Não deixe os afazeres do cotidiano o afastarem dos seus amigos, dos momentos com sua família, dos exercícios que lhe fazem bem, enfim, afastarem-no daquilo que realmente dá sentido a sua vida.

É preciso saber viver! E somente nós mesmos sabemos qual é o melhor caminho a seguir para vivermos uma vida plena e feliz.

Marina Bittencourt é enfermeira, mestre e doutoranda em Cuidado em Saúde pela USP.